sábado, 13 de agosto de 2011

o último post


Depois de 7 anos do Resumo do Cenário,
chegou a hora de partir para novos projetos. Continuo no Dobras da Leitura O’Blog, comentando livros de literatura infantil, em uma extensão da Vitrine Literária do antigo site, e também no Gabinete de IdÉias, contando por onde ando e o que ando pensando e fazendo por aí ;-) Que os leitores, seguidores e amigos possam me acompanhar nestes outros “cenários” da web.

Resumo do Cenário começou [aqui] quase como um diário pessoal, reunindo umas poucas notícias sobre literatura infantil e outras matérias que lia e desejava guardar... Então, cresceu e virou uma agenda de eventos, vindo para o blogspot com o intuito de agilizar a troca de informações.

Agradeço a todos que me acompanharam nesses anos, lendo, apoiando, enviando notícias e fazendo circular as informações sobre o livro, a leitura e a literatura infantojuvenil. Agradecimentos especiais a Lígia Pin e Renata Nakano que, nos tempos difíceis, se esforçaram para manter contínuo o serviço do blog.
E ao Luiz Sposito pela invisível manutenção.

Até breve!
Até o próximo espaço!



quarta-feira, 10 de agosto de 2011

dez anos de prosa, poesia e boas entrevistas

Passo Fundo RS


Eloí Elisabete Bocheco, Fabiano Tadeu Grazioli, Zenilde Durli (organizadores), os entrevistados, juntamente com a Habilis Editora, convidam para o lançamento e sessão de autógrafos do livro Um dedo de prosa, outro de poesia: conversas com quem gosta da palavra, durante a 14a. Jornada Nacional de Literatura de Passo Fundo/RS, no dia 26 de agosto, às 16h, no Circo da Cultura - Campus I. A obra reúne as entrevistas publicadas no Boletim de Literatura Infantil e Juvenil O Balainho que circulou por SC e outros estados brasileiros entre 1999 e 2009.

"O Balainho teve trinta e oito edições, das quais vinte e uma levaram entrevistas a seus leitores, as quais se encontram reunidas neste volume. Elas versam sobre temas relacionados ao foco do Boletim, desdobrando-se nas diferentes áreas de atuação dos entrevistados. Participaram das edições Márcia Cardeal, Tânia Rösing, Anna Cláudia Ramos, André Neves, Georgina Martins, Luiz Antonio Aguiar, Maicon Tenfen, Flávio José Cardozo, Luciana Sandroni, Maria da Glória Bordini, Eglê Malheiros, Tatiana Belinky, Ricardo Azevedo, Yedda Goulart, Ninfa Parreiras, Alcides Buss, Maria de Lourdes Krieger, Rogério Andrade Barbosa, João de Deus Souto Filho, Silvério Ribeiro da Costa e Sérgio Jeremias de Souza."

terça-feira, 9 de agosto de 2011

meu tio lobisomem

São Paulo

A Editora Peirópolis e a Livraria Zaccara convidam para o lançamento do livro de Manu Maltez, Meu tio Lobisomem: uma história verídica, em versão impressa e aplicativo. Durante o evento, o duo Marvada Carne apresentará a trilha musical do livro. Nesta terça-feira, às 19h30, na Livraria Zaccara (Rua Cardoso de Almeida, 1356 - Perdizes).

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

uma cidade para o poeta

Guaxupé


De 11 a 14 de agosto, Guaxupé, ao sul de Minas Gerais, vive a 1a. Semana Elias José, realizada pelo ICEJ. O evento inclui feira do livro, encontro com autores, narração de histórias com o grupo Passarim, exposição das ilustrações de J. Borges para o livro Ciranda brasileira, oficinas culturais (xilogravura, arte com recicláveis, varal de histórias e poesia) para crianças e outras destinadas a educadores, feira de artesanato e alimentos, etc. Confira a programação e os nomes convidados: [saiba +]

quinta-feira, 28 de julho de 2011

um curupira daqui a sbc

São Paulo e região...


P.S. Creio que a imagem seja de Simone Matias ;-)

domingo, 24 de julho de 2011

Uma feira para crianças...

São Bernardo do Campo e região


São Bernardo ganha feira literária
PublishNews, 21/07/2011

A 1ª Feira Literária de São Bernardo do Campo (FELIT), idealizada pela Secretaria de Educação em parceria com a Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), será realizada entre os dias 1º e 14 de agosto de 2011, no Pavilhão Vera Cruz (Av. Lucas Nogueira Garcez, 856 – Centro – São Bernardo do Campo/SP). Já confirmaram presença Bartolomeu Campos de Queirós, Daniel Munduruku, Dolores Prades, Rodrigo Lacerda, Katia Canton, Fernando Vilela, Ilan Brenman, Flavia Lins e Silva, Jo Oliveira, Janaina Tokitaka, entre outros escritores e ilustradores. Para facilitar a participação dos alunos, 100 ônibus especiais circularão pela cidade. [veja+]

sábado, 23 de julho de 2011

O Mercado do Livro Infantil

Rio de Janeiro


Com foco sobre a cadeia de produção de obras nacionais e estrangeiras destinadas aos pequenos leitores, a Estação das Letras promove, nos sábados de agosto, os seminários “O Mercado do Livro Infantil”. Com curadoria de Ninfa Parreiras, a programação conta com nomes que são referência no mercado: o escritor Luiz Raul Machado, o ilustrador Roger Mello, as designers Ana Sofia Mariz e Christiane Mello, a agente literária Lucia Riff, Otacília Freitas (Editora Planeta), Anna Maria Renhack (Editora Record) e Luciana Figueiredo (Portal Praler/MEC).

Em quatro encontros, serão pautadas questões como a caracterização do livro para crianças, as diferenças atinentes à literatura e ao livro infantil, o processo como um texto vira livro e como se efetiva a comunicação entre editor, escritor, ilustrador, agente literário, divulgador e livreiro. O MERCADO DOS LIVROS INFANTIS acontece de 6 a 27 de agosto, sábado das 10h às 15h, na Estação das Letras, à Rua Marquês de Abrantes, 177 – conjuntos 107-108, no Flamengo. [saiba +]

sexta-feira, 22 de julho de 2011

estilo e técnica em ilustração

São Paulo

Começa dia 25 de julho, a oficina Estilo e técnica em ilustração, com Maria Eugênia, no Espaço de Cultura Contemporânea – Escola São Paulo. Com duração de uma semana, a oficina permite que os alunos tenham amplo contato com a arte de ilustrar, sempre utilizando uma das diversas técnicas de ilustração – como desenho, colagem, aquarela, tinta acrílica, guache e nanquim.

A ilustradora Maria Eugênia trabalha na coluna de Nina Horta na Folha de São Paulo, tendo ilustrado mais de cinqüenta livros e ganhado prêmios no Brasil e no exterior, como o Bologna Ragazzi Award de 2001. Também participou de exposições e catálogos internacionais, tais como Society of Illustrators de NY, American illustration e Bologna Illustrators Exhibition. [saiba +]

quarta-feira, 20 de julho de 2011

um papo com escritores africanos

São Paulo

O programa Sempre Um Papo e o SESC Vila Mariana realizam um encontro especial ao receber três importantes escritores africanos, na próxima quarta-feira, 27 de julho, às 20h. Sob a mediação de Susana Ventura, o debate “Cultura, literatura, lendas e costumes da África” contará com a presença dos angolanos Maria Celestina Fernandes, Zetho Cunha Gonçalves e o guineense Abdulai Sila. O SESC Vila Mariana fica à Rua Pelotas, 141.

terça-feira, 19 de julho de 2011

segunda-feira, 18 de julho de 2011

ideia boa se espalha

Em Caxias do Sul, escritores e agentes culturais comemoram o segundo aniversário de sua confraria de leitura, inspirada no modelo das Reinações de Porto Alegre que mensalmente, com 51 encontros já realizados, tem reunido leitores de literatura infantil e juvenil para um debate sobre a produção contemporânea e sua importância na formação do público leitor a que se destina. Espalhando-se por três cidades, além das reinações gaúchas, há também uma confraria carioca com um ano de experiência.

Veja o convite e as atividades especiais para a comemoração em Caxias do Sul.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

essas imagens dentro da gente

p.o'sagae,sp

Eu fui e voltarei. A exposição de ilustrações de livros Linhas de Histórias que o SESC-Belenzinho oferece, até 28 de agosto, em São Paulo, é uma deliciosa viagem através de reproduções de desenhos, rascunhos, originais e instalações pelo imaginário visual da literatura infantil brasileira dos últimos 40 anos. Ontem aconteceu a abertura da mostra e, entre encontros e reencontros com pessoas que aprendi a admirar “dentro” dos livros, obviamente não deu para ver tudo o que ali está ao alcance do olhar.


Em um espaço bastante amplo, a exposição divide 53 ilustradores em seis corredores temáticos. O primeiro é dedicado ao livro-imagem e estão, logo à entrada, reproduções das delicadas páginas de O caminho do caracol, de Helena Alexandrino. Os demais corredores exibem trabalhos na linha do humor, os experimentais, ilustrações que resgatam a tradição do artesanato, a cultura brasileira e, por fim, onde cheguei puxado pelas mãos de Elisabeth Teixeira, os clássicos e os contos de fadas.

Passei mais tempo no corredor de cultura brasileira. Quatro gaveteiros tipo mapoteca ali estão: as pessoas debruçavam-se para espiar. A primeira reação foi estranhamento, afinal, pareciam analisar... Uma tíbia, o úmero, toda a arcada óssea de algum ilustrador? Nada disso, esse é um espaço para quem gosta de outras arqueologias, encontrando nas gavetas, um rascunho, estudos, desenhos que se modificam traço a traço, a arte final e a página impressa, permitindo que os visitantes “curtam” o processo de criação de alguns ilustradores, como Roger Mello, Nelson Cruz, Maurício Negro, Pedro Rafael, entre outros... E foi muito bom rever o material de Ciça Fittipaldi que, em 1992, creio, o SESC Consolação exibiu em seu saguão de entrada.

Dupla viagem, nas etapas daquilo que os livros escondem e naquilo que o tempo congelado em cada fragmento de papel revela. O quinto corredor é passagem para curiosos e pesquisadores do que se convencionou chamar de crítica genética.

Em outro espaço, ficam as instalações. Brincando com as ideias e as imagens dos livros, você pode passear sobre as pegadas de Juarez Machado (início e final do Ida e volta em cima do piso de vidro, acima da piscina do SESC!), ou adentrar na caixa de cores que, de alguma forma endurecida e fria, evoca o desterro de Flicts rumo a lua. Ou postar-se e portar-se como dentro das páginas de O rei de quase tudo, com desenhos de Eliardo França. Ou girar, girar, girar os zootrópios com a Bruxinha, de Eva Furnari ;-) Ou capturar o movimento das cortinas translúcidas que reproduzem a leveza dos Cânticos de Angela-Lago. Todas essas experiências, ainda que tecnicamente simplórias ou distantes do livro em seu formato convencional de papel, são portas para reconhecermos a transitoriedade do suporte físico do códex e a necessidade de investigação sobre os ambientes imersivos para a criação ficcional. Que venham novos livros, ou outras coisas, não sei... O que resiste é um gesto invisível de cada artista.

Por falar em livros... Senti a falta deles espalhados pela exposição. Gosto muito de ver, ler, comparar o desenho, o original, a arte com a reprodução impressa no lugar que lhe coube na página. Só assim faz sentindo pensar em ilustração. Também senti a falta de muitos nomes nesse panorama do livro ilustrado brasileiro... e de um catálogo gorducho. Nada disso particularmente representa crítica ou azedume. Apenas palpites. E é bem mais um motivo para imaginarmos as Linhas de Histórias em sua segunda edição no próximo ano ;-) ou biênio. A curadoria artística e o investimento do SESC, nesse setor, nos dão bastante alegria! São Paulo anda carente de eventos de relevância cultural no que toca a literatura para crianças e seus autores. Vamos lá prestigiar!

Ah, e as fotos?
Elas estarão espalhadas na rede, logo mais, tenho certeza.
Então, linkarei, linkarei, linkarei...
Não deixe de ver a [reportagem videográfica] de Cristiane Rogério.

terça-feira, 12 de julho de 2011

CARTA ABERTA

Belo Horizonte, 6 de julho de 2011.

Exma. Sra.
Thaís Pimentel
Presidenta da Fundação Municipal de Cultura (FMC) da PBH
Rua Sapucaí, 571, bairro Floresta
Belo Horizonte – Minas Gerais


Prezada Thaís,

Na qualidade de cidadãos e integrantes do Coletivo 21 – grupo de escritores brasileiros nascidos em Minas Gerais e residentes nesta capital – vimos, por meio desta CARTA ABERTA (que será veiculada na internet e estará sujeita a adesões), manifestar nossa insatisfação em relação à não realização dos concursos nacionais de literatura Prêmio Cidade de Belo Horizonte e Prêmio João-de-Barro, em 2010 e, por ora, em 2011.

Incorporado à tradição cultural do nosso município, o Prêmio Cidade de Belo Horizonte foi instituído pelo Decreto nº 204/47, em 1947, durante as comemorações do cinquentenário de BH, tendo se firmado, nestas seis décadas, como o mais antigo e tradicional concurso literário do país, premiando e revelando poetas, contistas, romancistas, ensaístas e dramaturgos. Já o Prêmio João-de-Barro foi criado pelo Decreto nº 2.613/74 e logo se consagrou como referência nacional no âmbito das premiações literárias destinadas àqueles que escrevem para crianças e jovens.

Lembramos que Belo Horizonte é por natureza uma cidade de escritores, cenário frequentado ao longo dos tempos por autores do porte de Anibal Machado, Alaíde Lisboa de Oliveira, Carlos Drummond de Andrade, Cyro dos Anjos, Eduardo Frieiro, Fernando Sabino, João Guimarães Rosa, Murilo Rubião, Oswaldo França Júnior, Pedro Nava, Roberto Drummond e Wander Piroli, para citar apenas alguns daqueles que se destacam entre os maiores expoentes da literatura brasileira, tradição que se renova e se mantém hoje.

Sem dúvida, os dois concursos literários promovidos pela PBH ajudaram a consolidar nacionalmente nosso município como referência cultural, terra de intelectuais e artistas, capital de luzes e ideias. Não podemos concordar que, por motivos não colocados a público, não discutidos com quaisquer das partes interessadas, a tradição que aqui se firmou, estimulando e revelando grandes talentos das letras nacionais de diferentes gerações, de Autran Dourado a Antônio Barreto, Duílio Gomes, Carlos Herculano Lopes, Francisco de Morais Mendes, Jeter Neves e Luís Giffoni, seja agora interrompida unilateralmente e sem explicações.

Lembramos que, além de consagrar talentos literários, os prêmios Cidade de Belo Horizonte e João-de-Barro também ajudaram a promover os realizadores, servindo de instrumento para reforçar nacionalmente a imagem da cidade e a reputação de secretários e prefeitos como gestores públicos sensíveis no trato com a cultura e a educação. Estas ações transmitem a mensagem de compromisso com os autores que refletem o mundo contemporâneo, a preocupação com a perenidade do "fazer literário", o incentivo à leitura e a democratização do conhecimento, além de fortalecer o principal elo da cadeia produtiva do livro, ou seja, a criação.

Ao longo de décadas, os prêmios Cidade de Belo Horizonte e João-de-Barro mobilizaram autores em todo o país, além de intelectuais de reconhecida competência envolvidos nas comissões organizadoras e julgadoras. Prêmios literários integram o cenário cultural de municípios, estados e da União, convivendo e reforçando políticas de publicações e a realização de eventos que visam contribuir para o desenvolvimento espiritual do povo e para a ampliação do mercado editorial no país.

Mesmo que algumas pessoas a considerem a menos popular das artes – do ponto de vista comercial –, há que se reconhecer que a literatura perpassa a construção e a manutenção do imaginário regional e nacional, sendo, por isso mesmo, fundamental para firmar a identidade cultural dos povos, principalmente em tempos de globalização. Da oralidade ao texto impresso, em forma de livro ou adaptada para teatro, televisão e cinema, a literatura capta, registra e manifesta o modo de ser, agir e pensar do povo que a originou.

Portanto, vimos publicamente manifestar nossa contrariedade com a inexplicável atitude da FMC e reivindicar – como escritores e cidadãos belo-horizontinos que aqui moram e pagam seus impostos – a manutenção dos concursos literários Cidade de Belo Horizonte e João-de-Barro. No nosso entender, de modo diverso, os dois prêmios literários devem não apenas ser mantidos, mas, em honra da nossa tradição literária, ser tombados como patrimônio cultural e espiritual do município de Belo Horizonte.


Atenciosamente,

Adriano Macedo
Antônio Barreto
Branca Maria de Paula
Caio Junqueira Maciel
Carlos Herculano Lopes
Cláudio Martins
Cristina Agostinho
Dagmar Braga
Duílio Gomes
Francisco de Morais Mendes
Jaime Prado Gouvêa
Jeter Neves
Jorge Fernando dos Santos
Leo Cunha
Luís Giffoni
Malluh Praxedes
Neusa Sorrenti
Olavo Romano
Ronald Claver
Ronaldo Guimarães
Ronaldo Simões Coelho

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Linhas de Histórias

São Paulo

De 13 a 28 de julho, o SESC Belenzinho apresenta a exposição Linhas de Histórias: um panorama do livro ilustrado no Brasil, reunindo trabalhos de 1970 a 2010. Na programação paralela, oficinas, aulas e ateliês abertos, mesas redondas e debates, que pretendem aprofundar junto ao público a discussão, a produção e a crítica da linguagem. Curadoria: Alcimar Frazão, Fernando Vilela, Kátia Canton e Odilon Moraes.

Participam da mostra: Alcy Linares, Angela Lago, André Neves, Andrés Sandoval, Cárcamo, Ciça Fitipaldi, Cynthia Cruttenden, Dave Santana e Maurício Paraguassu, Daniel Bueno, Daneil Kondo, Demóstenes Vargas e Família Dummont, Eliardo França, Elisabeth Teixeira, Eva Furnari, Gilles Eduard, Graça Lima, Helena Alexandrino, Ionit Zilbermann, Ivan Zigg, Jean Claude Alphen, Juarez Machado, Laura Teixeira, Luiz Zerbini, Marcelo Cipis, Marcelo Xavier, Maria Eugênia, Marilda Castanha, Mariana Massarani, Maurício Negro, Nelson Cruz, Orlando, Pedro Rafael, Renato Moriconi, Ricardo Azevedo, Rosinha Campos, Roger Mello, Rui de Oliveira, Salmo Dansa e Suppa. Homenagens especiais, através de instalações lúdicas e interativas que reconstroem simbolicamente o universo do livro, a Ziraldo (Flicts), Eliardo França (O Rei de Quase Tudo), Juarez Machado (Ida e volta), Eva Furnari (A Bruxinha atrapalhada) e Angela Lago (Cântico dos Cânticos).

terça-feira, 5 de julho de 2011

segunda-feira, 4 de julho de 2011

SIB na FLIPZona

BlackNews, 02/07/2011

Maurício Negro nos conta a respeito da parceria da Associação Casa Azul, responsável pela organizacão da FLIP, com a SIB – Sociedade dos Ilustradores do Brasil – promovendo duas rodas de conversa na próxima quinta-feira, 7 de julho, como parte da [programação] da FLIPZona.

A primeira delas, às 8h30, mediada pelo ilustrador Orlando Pedroso, reunirá os quadrinistas André Diniz, Caco Galhardo e Rodrigo Rosa, que debaterão sobre o cenário atual das histórias em quadrinhos no Brasil. Em seguida, a partir das 10h30, Daniel Munduruku, Ciça Fittipaldi e Mauricio Negro conversarão sobre o texto e a imagem na literatura indígena.

sábado, 2 de julho de 2011

Nova diretoria, novos desafios

PublishNews, 01/07/2011

A Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil (AEILIJ) acaba de eleger nova diretoria. Liderada por Hermes Bernardi Jr., a chapa Capacitação e Intercâmbio venceu por maioria absoluta de votos e ficará à frente da instituição até 2013. Uma das novidades da nova gestão é a proposta de que algumas regionais tenham dois coordenadores como uma forma de incentivar o processo colaborativo, uma das bandeiras da nova diretoria. Sandra Pina é a vice-presidente, Dilan Camargo, o diretor executivo, Thais Linhares, a secretária geral e Laura Castilhos é a nova tesouraria. Veja quem são os novos diretores »

sexta-feira, 1 de julho de 2011

O que fazem os meninos quietos?

São Paulo

Literatura em tempos de crise

PublishNews, 22/06/2011

Na terça-feira, dia 5 de julho, das 14h às 17h45, acontece o encontro “Leituras em situação de crise”, no Sesc Pinheiros (Rua Paes Leme, 195 - Pinheiros – São Paulo/SP). Quando a adversidade da vida é excessiva, as pessoas se recolhem, encontram-se impedidas de sonhar, de pensar e de aprender. A leitura e a literatura são respostas, saídas histórico-sociais para a barbárie. Durante o encontro, a leitura será analisada como pano de fundo civilizatório. Estarão presentes a antropóloga francesa Michèle Petit, a psicóloga e psicanalista Patrícia B. Pereira Leite e as pedagogas Diana Sales e Luana Gomes. A mediação é de Dolores Prades e a programação integra o projeto Conversas ao Pé da Página. Para se inscrever, telefone para (11) 3817-4490 ou mande um e-mail.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

domingo, 5 de junho de 2011

Amanhã começa a festa!



São doze dias de encontros interessantes entre público leitor, escritores e ilustradores durante o Salão FNLIJ do Livro para Crianças e Jovens que acontece, de 6 a 17 de junho, no Centro de Convenções SulAmérica, na Av. Paulo de Frontin com Av. Presidente Vargas, no centro do Rio de Janeiro.

Vale destacar, nesta segunda-feira, a entrega do Prêmio FNLIJ aos Melhores de 2010, entre eles, Avô, conta outra vez, de José Jorge Letria (Peirópolis), na inequívoca categoria para autores portugueses; A lua dentro do coco, de Sérgio Capparelli e Guazzelli (Projeto), em poesia; e a coleção Palavra Rimada, concebida por Rosinha a partir do cordel de Leandro Gomes de Barros (Projeto). Livro teórico escolhido foi Crítica, teoria e literatura infantil, de Peter Hunt (Cosac Naify). Hors-concours, Psiquê, de Angela-Lago (Cosac Naify), em ilustração, e Selvagem, Roger Mello (Global) na categoria livro-imagem.

Neste ano em que se homenageia a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), 13º Seminário FNLIJ de Literatura Infantil e Juvenil promove uma reflexão e o debate sobre a produção de livros infanto-juvenis de Portugal e países africanos de expressão lusófona. Na segunda-feira, 13 de junho, o evento oferece um panorama da literatura da CPLP a partir da conferência de Ana Maria Machado: “As línguas de nossa literatura infantil”. Ao longo do dia, várias mesas redondas serão compostas com a presença dos escritores Zetho Gonçalves (Angola), Leão Lopes (Cabo Verde), Abdulai Sila (Guiné Bissau), Marilar Aleixandre (Galícia), Fatima Langa e Miguel Ouna (Moçambique) e Margarida Botelho (Portugal).

A programação completa de atividades pode ser conhecida [aqui].

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Antonieta Cunha está a frente

do Plano Nacional do Livro e Leitura
CBL Informa, 02/06/2011


À frente do Plano Nacional do Livro e Leitura, vinculado aos Ministérios da Cultura e da Educação, Antonieta Cunha é a nova Secretária-executiva do PNLL e terá o desafio de contribuir para democratizar o acesso ao livro no Brasil.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Crescer anuncia

os 30 melhores livros infantis
PublishNews, 01/06/2011 - por Maria Fernanda Rodrigues


A Revista Crescer perguntou a educadores, psicólogos, críticos, pesquisadores, livreiros, bibliotecários e a outros profissionais quais foram os 30 melhores livros editados no Brasil em 2010. Somou aqui e ali e chegou à lista anunciada na noite desta terça-feira, dia 31, em São Paulo. Dos 30, 14 são de autores estrangeiros. Destaque para os brasileiros Eva Furnari e Ilan Brenman, que emplacaram mais de um livro, e para Monica Stahel, a tradutora com mais obras na lista. Editoras como a Brinque-Book, Abacatte, Projeto, Moderna, Salamandra, Companhia das Letrinhas, Global, Rocco, Peirópolis e Manati também merecem destaque porque foram elas que publicaram os livros dos escritores e ilustradores brasileiros indicados pelos jurados.

A revista pediu que os leitores do site também escolhessem o melhor livro e quem ganhou o voto popular foi Por que Elvis não latiu?, escrito por Robertson Frizero, ilustrado por Tayla Nicoletti e publicado pela gaúcha 8Inverso. [ver]

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Encontro Nacional do

Varejo do Livro Infantil e Juvenil
CBL Informa, 26/05/2011

O 2º Encontro Nacional do Varejo do Livro Infantil e Juvenil acontecerá no dia 8 de junho de 2011. Esse encontro será realizado no 13º Salão FNLIJ do Livro e da Leitura, totalmente dedicado aos professores, o seminário será realizado no centro de convenções SulAmérica 2º andar do auditório a partir da 9 horas. O seminário é uma realização da Câmara Brasileira do Livro (CBL), Associação Nacional de Livrarias (ANL) e Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil – FNLIJ. Para informações e inscrições mande e-mail para: seminario@fnlij.org.br.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Cada criança com seu poema...

São Paulo

A Editora Peirópolis e a Livraria da Vila convidam para o evento de lançamento do novo livro de Lalau e Laurabeatriz: Árvores do Brasil: cada poema no seu galho, no dia 28 de maio, sábado às 15h. Sessão de autógrafos e atividades para crianças, na Vila Madalena.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Dolores Prades estreia a coluna

“Pequenos grandes leitores”
PublishNews, 23/05/2011

Hoje é dia de apresentar nova coluna no PublishNews! Dolores Prades, editora, gestora e consultora na área editorial de literatura para crianças e jovens passa a assinar quinzenalmente, às segundas, a coluna “Pequenos grandes leitores”. A ideia é discutir temas relacionados à edição e ao mercado voltado a este público, promover a crítica da produção nacional e internacional e refletir sobre fundamentos e práticas em torno da leitura e da formação de leitores. Para começar, Dolores, que é também curadora e coordenadora do projeto Conversas ao Pé da Página e coordenadora da área de literatura para crianças e jovens da Revista eletrônica Emília (a primeira edição sai em junho!), escolheu como tema o livro digital infantil. Ela participou recentemente do TOC, um importante encontro sobre e-book que ganhou este ano uma versão dedicada à edição digital infantil, realizada na Feira de Bolonha, e conta em seu texto de estreia como foi.

O livro infantil digital

PublishNews, 23/05/2011 - por Dolores Prades

Na ordem do dia das preocupações de todo editor, pensar o livro digital infantil nos remete a um universo de questões bastante específicas e diferenciadas dos outros segmentos editoriais. Para além da contraposição entre a afirmação do livro digital e o livro em papel, para além da discussão do desaparecimento definitivo do livro tal como o conhecemos hoje, há questões específicas do livro infantil que se delineiam nesse universo ainda duvidoso em que se move a edição digital. No caminhão de perguntas sem resposta com o qual adentro este universo, um dos aspectos que não deixam margem a duvidas é a certeza de que estamos vivendo um momento de efetiva inflexão da indústria editorial. Não há nenhuma novidade nisso. Porém, a sensação de ser testemunha desta reviravolta no mundo da edição só fui ter mesmo algumas semanas atrás participando do TOC (Tools of Change for Publishing), conferência sobre o futuro do livro infantil promovida pela Feira de Bolonha. [leia +]

Editora de mentirinha:

como naufragar no mercado,
fazer sucesso com as crianças e ser feliz

PublishNews, 23/05/2011 - por João Paulo Charleaux


Nenhum indicador sério prova que esta seja uma empresa de sucesso. A Libros del Snark, de Santiago do Chile, debutou há cinco meses com O livro do duende Raúl, numa tiragem de apenas 60 exemplares. Faturou R$ 3,5 mil e nem quis fazer mais. Não pagou os direitos de autor do primeiro romance, o duende, que sumiu entre as tábuas do piso onde funciona a editora. E, apesar do lucro parco, as donas da editora ignoraram os inúmeros pedidos de leitores do Chile e do exterior e preferiram parar para descansar. A Libros del Snark é o melhor exemplo de como não conduzir um negócio. E ser feliz. Diz o site que a ideia de fundar uma editora de livros infantis feitos a mão "remonta uma conversa entre a escritoria María José Ferrada e a ilustradora Francisca Yáñez num café de Helsinki, na primavera de 1847". A improvável e fascinante editora não quer ser exemplo para ninguém, nem lidera nenhuma campanha contra as grandes empresas do ramo. María e Francisca, as donas do negócio, só querem fazer livros bonitos. E sem pressa. [saiba +]


Foto adicional: Libros del Snark

Papos & Ideias

Porto Alegre

O escritor Caio Riter participa de uma entrevista poética na Saraiva Mega Store do Praia de Belas Shopping Center, a partir das 19h30 desta quinta-feira, 26 de maio.

Perspectivas para a literatura infantil

São Paulo

O escritor Ricardo Azevedo, a editora Maristella Petrili (Moderna) e José Nicolau Gregorin Filho (USP) participam da mesa redonda Diálogos Literários: perspectivas para a produção de literatura infantil, na próxima quarta-feira, 25 de maio, a partir das 19h30 na Livraria Cultura do Shopping Villa Lobos. Mediação: Maria José Nóbrega. [+ info]

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Poesia: primeiros sintomas

Curitiba


Neste sábado, 21 de maio, Gloria Kirinus autografa Synthomas de poesia na infância, na Livraria Paulinas da Rua Voluntário da Pátria, 225, a partir das 10h.

Após veto, livro do MEC

ensina como lidar com obra de Lobato
iG, 16/05/2011 - por Cinthia Rodrigues


Depois de ter a obra Caçadas de Pedrinho vetada pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) por racismo, Monteiro Lobato ganhou agora duas páginas com um “modo de usar” em livro que será enviado pelo Ministério da Educação (MEC) a 157 mil professores de 1º ao 5º ano. O volume 19 da Coleção Explorando o Ensino diz que a personagem Tia Nastácia deve ser apresentada com “análise” e sem “julgamento”.

Em outubro do ano passado , o CNE decidiu por unanimidade recomendar que não se distribuísse o livro publicado em 1933 por considerar que algumas passagens são racistas. [sabia +] O veto foi derrubado pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, que devolveu o texto ao conselho solicitando uma revisão, que não ocorreu até hoje.

Agora, um livro elaborado pela Universidade Federal de São Paulo e que será distribuído no segundo semestre para escolas de todo o país se refere a Monteiro Lobato em capítulo intitulado “Leitura e Compreensão: a ronda dos preconceitos e estereótipos” e explica como os educadores devem tratar de “Tia Nastácia, a inesquecível personagem referida como 'negra de estimação', logo nas páginas iniciais do Sítio do Pica-Pau Amarelo.” [leia +]


Imagem adicional: ilustração de Manoel Victor Filho para as Histórias de Tia Nastácia, de Monteiro Lobato. Obras Completas, vol.4a - 3.ed. São Paulo: Brasiliense, 1972.

domingo, 15 de maio de 2011

75 Anos de Ganymédes José


"Tenho de tirar de minha cabeça tudo o que ela puder dar ao mundo, porque sou agradecido a este mundo e não posso perder um único minuto em minha vida. Sou feliz e gostaria de dividir minha alegria com todos os que se dispuserem a me ler."


Documentário A história de Ganymédes José, produzido pela Prefeitura Municipal de Casa Branca, em 4 partes. Outras informações também no site:

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Dois dedos de história no sábado

São Paulo


Lançamento dos livros As lágrimas de Yara, de Ricardo Pombal e Dedê Paiva, e Sai da frente que atrás vem gente, de Marilene Martins e Rogério Serra, neste sábado, 14 de maio, a partir das 12h, na Livraria Cortez (Rua Bartira, 317), nas Perdizes.

terça-feira, 3 de maio de 2011

O conto de fadas através do jogo

São Paulo

A oficina para professores de Anna Flora Coelho acontece em seis encontros de 7 de maio a 11 de junho, a partir das 10h, na Casa das Rosas (Av. Paulista, 37). A oficina possui três eixos integradores: leitura e análise estética dos contos de fadas de Perrault, Grimm e Andersen; panorama histórico da época dos autores; e criação, pelos participantes, de jogos e atividades a partir da leitura dos contos. Vagas limitadas. [+ informações] educativo@casadasrosas.org.br

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Livro-imagem: o que há pra ler

São Paulo


Nem sempre as histórias são contadas por palavras. Com uma linguagem própria, as imagens constroem narrativas que exigem mais que um lance de olhar para serem lidas. A formação de leitores requer, portanto, um trabalho delicado na apreciação de imagens por parte de educadores e de profissionais do livro. Contudo, muitas vezes elas são tidas como meras ilustrações dos textos e o espaço dos livros-imagem ainda é pequeno nas escolas e no mercado. Assim, com a proposta de discutir a importância do livro-imagem na formação da criança e os motivos da dificuldade de inserção desse tipo de produção no mercado, a Com-Arte Jr convida para uma mesa redonda Luciano Guimarães, Peter O’Sagae e Isabel Coelho.
A Com-Arte Jr é a empresa júnior do curso de Editoração da Escola de Comunicações e Artes da USP. Além de prestar serviços, a empresa organiza eventos com a intenção de promover o curso de graduação, contribuir com a formação discente e propor debates relevantes.

Luciano Guimarães é professor dos cursos de Jornalismo e Editoração da USP, pesquisa e atua na área de Comunicação, com ênfase em Jornalismo Visual e Design Editorial, Teoria da Cor e Teoria da Imagem.

Peter O'Sagae idealizou a página Dobras da Leitura, trabalha como leitor crítico e consultor na área editorial, doutor em letras pela FFLCH/USP, comentarista de literatura infantil, jurado em diferentes edições do Prêmio Jabuti e do Prêmio Barco a Vapor.

Isabel Lopes Coelho é editora dos livros infantojuvenis na Cosac Naify desde 2005. Formada em jornalismo pela PUC-SP, tem mestrado em literatura francesa pela FFLCH/USP. Escreve artigos para revistas e ministra palestras sobre literatura infantil.

Livro-imagem: o que há pra ler
Dia 05 de maio de 2011, com previsão de início às 19h e encerramento às 21h.
Auditório Freitas Nobre – Av. Prof. Lúcio Martins Rodrigues, 443, prédio 2.
Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE)
Escola de Comunicações e Artes – Universidade de São Paulo.
Informações: (11) 3091 4016 | www.comartejr.com.br | comartejr@comartejr.com.br

* Ao fim evento serão sorteados livros da CosacNaify.

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Qual o Lado B dos contos de fadas?

Porto Alegre

Elaine Maritza, Caio Riter, Marô Barbieri, Jacira Fagundes, Christian David em torno das interpretações e análises de contos tradicionais no dia 29 de abril: Reinações Confraria de Leituras e a Biblioteca Lucília Minsen reunidos no Seminário O Lado B dos Contos de Fadas que acontece na Casa de Cultura Mário Quintana (Sala A2B2). Inscrições R$ 30,00. Para outras informações, clique na imagem.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Biblioteca FNLIJ reúne acervo

de literatura infantil e juvenil
PublishNews, 14/04/2011



A Biblioteca FNLIJ está disponibilizando no site da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil uma parte de seu acervo de livros de literatura para crianças e jovens publicados no Brasil. O objetivo é oferecer o acesso ao mais completo acervo de literatura infantil e juvenil do País, além de contribuir para subsidiar pesquisas e políticas culturais e educacionais de compra de livros. Além da Biblioteca Virtual, o site também traz o conteúdo de mais de 900 programas de promoção da leitura, inscritos nas 13 edições de Concursos FNLIJ.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Lobato Hoje no Google




Comemorações

CBL Informa



Prêmio SM de Literatura abre inscrições

PublishNews, 15/04/2011

Estão abertas as inscrições para o Prêmio Ibero-Americano SM de Literatura Infantil e Juvenil. Instituições, associações e grupos editoriais, educacionais ou culturais podem indicar escritores até o dia 31 de maio. O vencedor, que recebe reconhecimento internacional e premiação de US$ 30 mil, é tradicionalmente anunciado durante a Feria Internacional del Libro de Guadalajara (FIL), no segundo semestre do ano. Cada entidade tem o direito de apresentar apenas um candidato, que deve possuir publicações voltadas a crianças e adolescentes consideradas de relevância no mercado ibero-americano. Os detalhes sobre a inscrição estão disponíveis no [regulamento].

sábado, 16 de abril de 2011

Acontece

São José dos Campos

quarta-feira, 13 de abril de 2011

no camiño de Compostela

KALANDRAKA comunicación, 09/04/2011 – via El Mangrullo


La obra titulada El camino de Olaj, de Martín León-Barreto Johnson (Montevideo, 1973; afincado en Guadalajara, España) es la ganadora del IV Premio Internacional Compostela de Álbum Ilustrado, que convocan el Departamento de Educación del Ayuntamiento de Santiago y Kalandraka. El trabajo titulado Al otro lado, de Moisés Yagües Fernández (Murcia, 1972) fue finalista del certamen, mientras que ¿Quién querrías ser?, de Arianna Papini (Florencia, 1965) recibió la mención especial del jurado.

Al IV Premio Internacional Compostela de Álbum Ilustrado se presentaron 374 trabajos procedentes de 19 países, la mayoría desde España. También optaban al galardón proyectos enviados de Italia, Portugal, Argentina, Brasil, Chile, Alemania, Estados Unidos, México y Francia. En menor medida, se presentaron candidatos de Ecuador, Holanda, El Salvador, Hungría, Perú, Rumanía, Rusia, Serbia, Suiza y Uruguay. El ganador de la presente edición recibirá 12.000 euros en concepto de adelanto por los derechos de autor y su obra se publicará en castellano, gallego, catalán, euskera y portugués.

MÁS INFORMACIÓN EN EL [BLOG K]

terça-feira, 12 de abril de 2011

Outras Reinações

Próximo sábado

Ensaio fotográfico de Adriana Veiga inspirado na obra de Monteiro Lobato. Abertura da exposição no dia 16 de abril, a partir das 14h, com a presença da contadora de histórias Ana Luísa Lacombe. Comemorações de 80 anos de lançamento da obra Reinações de Narizinho, na BIJ Monteiro Lobato (Rua General Jardim, 485 - Vila Buarque), em São Paulo.